Os procedimentos estéticos formam um ramo da cirurgia plástica, que se concentra em mudar a forma do corpo humano e/ou para corrigir defeitos congênitos ou adquiridos com o tempo, a fim de melhorar a sua aparência, de acordo com os padrões de harmonia, dando resultados mais naturais e agradáveis. Sempre respeitando as funções das partes do corpo afetadas pelo tratamento, para os cirurgiões aqui da Barra da Tijuca esse é um grande ponto a ser levado em consideração
O objetivo principal da cirurgia plástica é melhorar algum aspecto do seu corpo, da melhor maneira possível. Ela não pode fazer nada mais do que isso. Aqueles que esperam transformações milagrosas estão destinados as inevitáveis decepções.
A cirurgia plástica é uma mistura de ciência e arte.
A ciência aplica métodos e técnicas que são reproduzíveis, normalmente provindos da cirurgia plástica, reconstrutiva e restaurativa.
A arte porque é exigida certa sensibilidade na harmonia das formas, e uma particular capacidade de prever o resultado da ação cirúrgica.

Procedimentos estéticos permitem resultados satisfatórios se forem observados os seguintes pontos:

• A técnica mais apropriada: Existe uma necessidade de saber escolher entre as diferentes técnicas e procedimentos conhecidos, qual é o mais adequado para o caso especifico. Um efeito aditivo pode levar em particular detalhes diferentes de acordo com a técnica utilizada.
• Executar corretamente: Operações cirúrgicas enquanto executadas corretamente prometem um resultado positivo. Mas quando são mal executadas, podem vir a ser prejudiciais.cirurgia plastica1
• Diagnóstico preciso: É aconselhável uma profunda análise do defeito a ser corrigido e a previsão do seu aspecto final em todo o rosto ou corpo do paciente.
• Avaliação cuidadosa das expectativas: O cirurgião deve possuir a habilidade de interpretar corretamente os desejos específicos do paciente para determinar se eles podem ser razoavelmente alcançados com essa intervenção. Se obtidos, será realmente um elemento positivo para a vida e a psicologia do paciente.
A partir dessas considerações, é óbvio que o médico deve possuir um conhecimento extensivo, fruto de anos de experiência em sala de operação, e também um forte gosto artístico e um bom sentido das proporções, bem como as qualidades humanas e psicológicas, que lhe permitem relacionar-se corretamente com o candidato ao procedimento.

Quem tem direito a realizar cirurgia plástica?

De acordo com a legislação atual em vigor, todos os graduados em Medicina e Cirurgia, devidamente qualificados, podem exercer a profissão de Médico e, em teoria, envolver-se em todas as especialidades, exceto Radiologia e Anestesia. Por esse motivo, cirurgias estéticas são realizadas por profissionais não qualificados e não especializados com certa frequência.
Há uma especialidade na Universidade Federal do Rio de Janeiro em Cirurgia Plástica e Reconstrutiva, com duração de cinco anos, que é acessado depois de ter exercido a Licenciatura em Medicina e Cirurgia.


Após a formação universitária, somente muitos anos de experiência prática na clínica e na sala de operação podem permitir a aquisição de uma sólida carreira profissional. Todo profissional dessa área no Rio de Janeiro, pertencem a uma única sociedade científica, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, filiada a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva.

A Quem Está Direcionada a Cirurgia Plástica?

Para simplificar, o médico pode direcionar em até três categorias fundamentais de pessoas pertencentes a diferentes grupos etários, com motivações e expectativas distintas:
Sujeitos que nunca aceitaram a sua imagem corporal devido a particular anatômica desviante da forma que é considerada normal e, em seguida, desconfortável em suas próprias experiências sociais e profissionais.
Partes do corpo que exijam a acentuação de algumas características para ser mais atraente.
Indivíduos que aceitam a sua imagem corporal e querem mantê-la para sempre, não aceitando os sinais de envelhecimento.

A Escolha Certa do Cirurgião Plástico aqui na Barra da Tijuca

Se submeter a uma intervenção médica significa, em primeiro lugar, ser capaz de confiar no cirurgião plástico. Muitas vezes, a escolha depende da boa impressão evocada pelos resultados observados em outros pacientes, ou por informações positivas recebidas de outros médicos e antigos pacientes. Esta pode ser por si só, uma boa política.barra-da-tijuca
No entanto, apenas o conhecimento direto e pessoal, por ocasião das visitas e entrevistas e do pré-operatório podem servir para adquirir uma impressão pessoal sobre as qualidades de precisão, confiabilidade e sensibilidade do cirurgião que você confiar. Apenas com uma consulta não apressada, o paciente tem a possibilidade de apresentar seus problemas, suas expectativas e necessidades, avaliar se o profissional oferece uma garantia de um bom serviço, para assim habilitar e estabelecer uma relação de confiança. A conversa tem que ser franca e objetiva. O melhor cirurgião, definitivamente não é o que promete resultados excepcionais, sem sacrifícios e riscos. Deve possuir não só o conhecimento extensivo, fruto de anos de experiência, mas também uma boa noção artística. Ter qualidades psicológicas para relacionar-se corretamente com o paciente, compreendendo assim profundamente suas motivações.